Área: Ciências Biológicas
Subárea: Microbiologia
Estado: Minas Gerais
Cidade: Uberlândia
Escola: Universidade federal de Uberlândia

Resumo: Na cavidade bucal humana encontramos diversos sítios ecológicos constituídos por centenas a milhares de espécies bacterianas, o que torna o ambiente bucal peculiar e muito complexo. Das patologias bucais a doença periodontal tem alta prevalência e incidência, que se inicia com a formação de biofilmes microbianos (biofilme placa dental) na superfície do dente levando inicialmente a gengivite e se não tratado a periodontite. Essa patologia é causada por bactérias anaeróbias, sendo considerado um enorme problema na saúde pública. Outro problema relacionado às bactérias anaeróbias bucais se dá pelo aumento do uso inadequado de antibióticos, que tem gerado um crescimento consistente de resistência nas últimas três décadas nesse grupo bacteriano. Assim, a busca por alternativas para o tratamento da infecção periodontal, sem os atuais efeitos colaterais dos antissépticos bucais, torna-se de grande emergência. Nesse sentido, a investigação por produtos naturais com potencial antibacteriano, como a própolis verde brasileira, é um desafio a ser vencido. Para tal, o extrato bruto da própolis verde foi avaliado pela determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) e Concentração Bactericida Mínima (CBM), que forneceu a menor concentração da própolis responsável por inibir ou matar as bactérias avaliadas que foram classificadas como bactericida a Peptostreptococcus anaerobius (ATCC 27337), Actinomyces viscosus (ATCC 43146), Porphyromonas asaccharolytica (ATCC 25260) e Fusobacterium nucleatum (ATCC 25586) e no controle Bacteroides fragilis (ATCC 25285) e Bacterioides thetaiotaomicron (ATCC 29741) demonstrando a mesma concentração no CIM e CBM entre >400 a 400µg/mL, e classificadas bacteriostáticas: Prevotella nigrescens (ATCC 33563) e Prevotella oralis (ATCC 33269) que apresentaram a concentração inibitória a 200µg/mL e concentração bactericida diferente e maior a 400µg/mL. Esses resultados comprovam a eficácia da própolis verde brasileira para combater bactérias causadoras da periodontite.


Foto dos autores do projeto
Foto do projeto