Área: Ciências Exatas e da Terra
Subárea: Química
Estado: Rio de Janeiro
Cidade: Rio de Janeiro
Escola: CEFET/Rj

Resumo: Anualmente, estima-se que sejam gerados no Brasil cerca de 30 milhões de toneladas de resíduos de madeira. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a principal fonte geradora de resíduos é a indústria madeireira e infelizmente, apenas uma pequena parcela desse volume de resíduos possui algum aproveitamento econômico, social ou ambiental. Na região amazônica, por exemplo, pouco mais de 1/3 dos resíduos de madeira produzidos são abandonados ou queimados, resultando em danos ambientais irreversíveis. Tendo isso em vista, o objetivo do presente trabalho é dar uma aplicação ao resíduo de madeira através do desenvolvimento dos seguintes biocompósitos: um bioplástico e duas embalagens que visam substituir bandejas de isopor. A elaboração do bioplástico foi feita por meio de casting, método no qual a solução é depositada sobre um suporte para secagem e consequentemente obtém-se a formação de uma matriz contínua que dá origem a filmes biodegradáveis. Nesta metodologia foram utilizadas diferentes proporções de resíduos de madeira, glicerol, vinagre, água e amido de milho e farinha de trigo. No entanto, as bandejas biodegradáveis foram desenvolvidas a partir da produção de colas naturais - uma à base de farinha de trigo e a outra à base de amido de milho - com os resíduos de madeira – e, posteriormente, moldadas em embalagens plásticas. A secagem de ambos os compósitos ocorreu à temperatura ambiente durante 72 horas. Os resultados obtidos desse projeto foram satisfatórios, promovendo assim o aproveitamento de resíduos de madeira e agregando-lhes valor.


Foto dos autores do projeto
Foto do projeto