Área: Ciências Exatas e da Terra
Subárea: Química
Estado: Rio Grande do Sul
Cidade: Osório
Escola: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - campus Osório

Resumo: Ao longo das décadas encontra-se um número crescente de microplásticos (plásticos menores que 5mm) nos oceanos, que por sua vez vem aumentando a preocupação com o consumo excessivo de material plástico e o seu descarte. A ocorrência desse problema traz impactos graves aos animais marinhos e à saúde humana, através da ingestão de água e de animais contaminados por essas partículas. Tomando ciência dos malefícios que os microplásticos (MPs) ocasionam aos ecossistemas, buscou-se pesquisar mais sobre seus impactos e a existência de microplásticos nas praias do Litoral Norte gaúcho. A metodologia utilizada foi a pesquisa e análise de artigos e a revisão bibliográfica em base de dados como o Portal CAPES e Google Acadêmico, e também a saída a campo. Como resultados parciais, mediante de revisão bibliográficas, têm-se a detecção dos métodos de identificação quali-quantitativas de microplásticos na água e a presença de MPs no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, através das saídas a campo foi possível identificar a incidência de macroplásticos e microplásticos nas praias de Capão da Canoa e Cidreira. A partir dos dados apurados, ressalta-se a importância de estudos dos métodos de remoção existentes e a obtenção de alternativas viáveis para a minimização da problemática, evidenciando sua relevância científica e para a população do Litoral Norte gaúcho. Como próximos passos têm-se o intuito de analisar águas superficiais das cidades de Capão da Canoa, Cidreira e Osório e, posteriormente, produzir um material a partir dos resíduos da laranja que remova ou reduza microplásticos em solução aquosa.


Foto dos autores do projeto
Foto do projeto