Área: Ciências Humanas
Subárea: Educação
Estado: Rio Grande do Sul
Cidade: Porto Alegre
Escola: Colégio La Salle Santo Antônio

Resumo: Esse trabalho possui o objetivo de analisar como o ensino brasileiro ineficiente de ciências prejudica a alfabetização científica da população e dificulta a compreensão do valor do conhecimento científico. Essa pesquisa deve-se aos recentes impactos do analfabetismo científico, como a atual resistência a protocolos relacionados à pandemia de COVID-19 e a ascensão de movimentos anticientificistas. Para a elaboração do presente trabalho, realizou-se um levantamento bibliográfico e uma pesquisa quantitativa, feita por meio de Formulários Google, com 284 pessoas de graus de formação diferentes. Como resultado da pesquisa, foi observado o surgimento de um “Ciclo de desinteresse científico”, que começa na carência educacional científica, evidenciada no Pisa 2018 (onde 55% dos alunos não atingiram o nível básico de conhecimento em ciências). Isso se torna um entrave no entendimento científico da população que, aliada ao fato de apenas 32,7% de jovens possuírem acesso à educação superior (IBGE, 2019), faz com que a luta pela valorização da ciência não aconteça. Assim, o ciclo de desinteresse se fecha e a cultura de não valorização é criada. Essa cultura diverge de ideais propostos na base da educação brasileira, como destacado na BNCC, sobre a “necessidade de a Educação Básica [...] comprometer-se com o letramento científico da população.”. Assim, compreende-se a alfabetização científica como vital para o exercício da cidadania dentro da sociedade brasileira.


Foto dos autores do projeto
Foto do projeto