Área: Ciências Humanas
Subárea: Geografia
Estado: Rio Grande do Sul
Cidade: Bento Gonçalves
Escola: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves

Resumo: A monocultura e o uso intensivo de agrotóxicos incentivados pelo agronegócio e pelo governo brasileiro a partir de 1970, afeta significativamente a saúde humana. A região Uva e Vinho, no Rio Grande do Sul, possui como uma de suas principais atividades econômicas a produção de uvas, a qual compõe a renda de milhares de pequenos agricultores, e utiliza diversos tipos de agrotóxicos. A partir deste contexto, o projeto pretende identificar a percepção dos viticultores dos municípios de Santa Tereza e Monte Belo do Sul, ambos da região Uva e Vinho, sobre a relação do uso de agrotóxicos com a sua saúde. Para alcançarmos esses objetivos, além de pesquisas bibliográficas, foi realizado um questionário on-line, devido a necessidade do distanciamento social, no período de dezembro de 2020 a janeiro de 2021. O público alvo foram agricultores maiores de 18 anos que trabalham mais de 15 horas semanais na produção. Os resultados parciais das entrevistas mostram que mais de 90% dos entrevistados relacionam o contato com o agrotóxico a algumas doenças, especialmente ao câncer e há o relato de ocorrência de sintomas como dor de cabeça e ardência nos olhos e de doenças frequentes, entre os entrevistados e seus familiares, como doenças respiratórias e mentais, porém apenas 6,5% faz uso correto de EPIs. Portanto, é possível colaborar com estratégias com esses agricultores em contato com profissionais da área da saúde e através de trabalhos interdisciplinares com áreas técnicas referentes ao manejo, em destaque para possibilidades de diminuição do uso de agrotóxicos.


Foto dos autores do projeto